08 dezembro 2010

Carta ao Pai Natal...


Nunca antes escrevi uma carta ao Pai Natal, aliás acho que nunca acreditei verdadeiramente em ti, mas este ano resolvi escrever-te.
Como costumam começar todas as cartas que te enviam, digo-te que este ano tentei portar-me bem, apesar de nem sempre conseguir. Aliás, acho que dificilmente alguém consegue fazê-lo.
Este ano que está a terminar, muitas vezes tentei controlar as minhas fúrias, mas sei que nem sempre o consegui, o stress imperava, a vontade de mandar o que me estava a chatear para um outro sítio era mais que muita, mas enfim...
Algumas situações de que falo, passaram-se a nível do ambiente de trabalho, é dificl ter controle sobre tudo o que está à tua volta, é difícil manter a calma perante as adversidades, não é fácil aceitar que as pessoas sejam mal formadas e que não saibam estar e julguem que o mundo gira apenas em sua volta.
Para quem como eu trabalha a dar a voz ao manifesto, não entende por vezes a falta de respeito que existe das pessoas que estão do outro lado da linha, quando nos tratam menos bem, pouco faltando para nos chamar nomes (quando não nos chamam, nem que seja inconscientemente). Toda esta pressão existe, porque cada dia, cada hora exigem mais e mais de nós, como se fossemos um saco sem fundo. Por um lado é bom para nos pormos à prova, por outro lado a pressão leva muitas vezes a termos reacções inesperadas, vindas até de quem menos esperamos... temos que saber conviver com isso!
Apesar de tudo, dou muitas graças a Deus por ter este trabalho todos os dias (pelo menos até ver...)
Todo este stress muitas vezes pode afectar a vida pessoal, tento sempre que assim não aconteça, mas ás vezes não é fácil. Durante este ano tentei ser uma boa mãe, uma boa esposa, uma boa amiga (dos poucos amigos que tenho), este ano não foi fácil (principalmente este final de ano), a capacidade de aguentar a pressão, a incerteza, chega a pontos de nos deixar algo loucos, por outro lado à que olhar pelo lado positivo, a loucura desde que seja saudavel, faz-nos crescer e estar prontos para os desafios seguintes.
Por tudo isto este Natal, não te vou pedir nenhum perfume, nenhuma prenda material em especial, apenas desejo que me dês forças, saúde, amor para todos os meus e desejo que me ponhas no meu sapatinho duas prendas especiais, muito trabalho (dentro das 8 horas de trabalho normal e extra, desde que ele venha, é sempre bem vindo!!!!!!!) E já agora também, seria pedir muito que o bichinho que se esconde atrás dos palcos, me volte de novo a morder??

Da menina sempre tua amiga (apesar de nem sempre bem comportada)
Sandra C.

Sem comentários: